sábado, 11 de julho de 2015

Desabafos de manhã

Mais um dia começa e eu aqui escondida do mundo. Me sinto um fracasso ao relembrar dos planos que fiz durante toda minha vida nos quais nenhum foram pra frente, alguns até tentei, comecei, acreditei que dariam certo, ate um dia perceber que estava sozinha nele e deixei de lado.
Sei que muitas mulheres vivem esse mesmo dilema,por mais que não assumam, sentem se fracassadas por não enxergar nelas, o que realmente sonharam um dia. O que fazer? Tomar remédios, se tratar com psicólogos e ler livros de auto ajuda?

 Eu já fiz tudo isso e ainda nada se resolveu, minha vida só mudou em uma coisa. Percebi que a gente pode desabafar pra sentir melhor quando a deprê bate forte,mas temos varias opções pra fazer isso. Umas você paga algum desconhecido e fala por horas no ouvido dele coisas que no fundo ele não ta nem aí, e depois sair se sentindo uma idiota por ter feito aquilo, ou você pode ter uma amiga e fazer a mesma coisa, e depois descobrir que a amiga era na verdade "ovelha em pele de carneiro" e toda sua infeliz historinha foi o tema principal das piadinhas no horário do almoço da empresa inteira.


  • Enfim, a melhor maneira que eu encontrei pra desabafar foi criando esse blog, quase não visto, quase não reparado e nunca comentado, mas, entre linhas eu me sinto livre pra dizer coisas que se passam em minha mente e que com certeza,na mente de muitas outras pessoas no mundo inteiro. Mas uma coisa eu digo, meus reais problemas, desabafo com uma única pessoa, capaz de me compreender,me julgar, mas nunca ficar contra mim. Essa pessoa me ajuda muito, me mostra os pontos em que errei, o quanto preciso mudar e me mostra quando exagerei e passei dos limites das neuras. Essa pessoa eu confio, esta pessoa é minha melhor das melhores amigas.Esta pessoa sou Eu mesma.


sexta-feira, 10 de julho de 2015

Mistérios da vida em um livro sem fim.

Não sabemos o dia de amanhã, não temos noção do que nos espera nem do que teremos tempo a fazer, o ser humano tem a mania de deixar as coisas sempre pra depois, na correria do dia-a-dia, nós estabelecemos prioridades mas, esquecemos que serão as mínimas coisas que nos farão falta caso não sejam vividas.
Um abraço apertado, um beijinho na bochecha ou um simples eu te amo em horas inesperadas podem fazer muita diferença pra vida de qualquer um de nós.
A vida é como um livro, vivemos historias, vivemos capítulos que começam emocionantes e podem terminar de repente bem diferente daquilo que prevíamos. O ideal é então, viver cada capítulo ao máximo. Sem deixar para depois, sem dar importância a pequenas virgulas e criar muitos parágrafos cheios de aventuras. Por que quando chegar finalmente amigos, aquela  ultima pagina do capitulo de sua história, você tenha lembranças boas, recordações marcantes, e bons motivos para escrever seu próximo capítulo sem medos, sem insegurança.
Digo pois, vivemos histórias que parecem contos de fada, aquele friozinho na barriga que nos fazem acreditar no "felizes para sempre". Ai vem a vida, com seu jeitinho arteiro, pegando a gente de surpresa mudando nossa historia sem ao menos nos perguntar se realmente seria tal fim que escolheriamos para mais um capítulo de nossa jornada. Mas ao mesmo tempo ela nos prepara novas emoções inesperadas que fazem nos recomeçar novamente a próxima história.
É assim é a vida, com ou sem emoções nós somos obrigados a fazer escolhas, a tomar decisões e atitudes para que ela siga adiante. Seria destino? Não sei, mas uma coisa eu acredito. Somos os únicos responsáveis pelas linhas que a vida escreve pra nós. Pois a vida, é a gente que faz, então, faça valer a pena,faça bem feito, sorria, cante, pule, grite,chore, seja intenso, seja profundo, seja tudo que quiser ser, mas seja sempre você. Mas que você seja real e não mais um fantoche no livro da vida.

domingo, 21 de junho de 2015

Vida de dietas

Hoje acordei animada, mas não pensem vocês que estou preparando uma nova fórmula secreta de emagrecer, não não!
Apenas me animei a desistir,isso mesmo,cansei de viver me coibindo, me sacrificando com dieta desastrosas durante dias e depois subir em uma balança e perceber que todo aquele esforço valeu míseros 200 gramas a menos que serão recuperados assim que passar na primeira lanchonete que tiver uma coxinha com catupiry quentinha me esperando... :)
:-) Siiiim , eu amo coxinha com catupiry, eu amo tortinha de frango, e adoro pastel de carne com molho de tomate e pimenta...
Não sou chegada a refrigerantes, graças a Deus ao menos desse mal eu não me mato. Mas em compensação me jogo  mesmo,quando vejo uma comida bem feita pela minha sogra no fogão a lenha. Então, se isso me faz feliz, serei feliz daqui em diante! Pelo menos até eu tentar vestir mais uma calça e ela não querer se fechar e eu sentir novamente aquela imensa culpa e tentar me redimir fuçando a Internet em busca de mais uma milagrosa dieta maluca.

problemas alheios

Adoro ouvir desabafos de pessoas que nem conheço. Às vezes ouço por horas histórias que se parecem com as minhas, outras ouço histórias tão absurdas que não consigo imaginar como são capazes de cair nessas tão facilmente. De qualquer forma eu me identifico com várias, sou boba, me iludo fácil e mesmo sendo enganada milhões de vezes ainda consigo acreditar em algumas palavras bonitas vindas de especialistas em falsificação de promessas.
Assumir isso não é nada fácil, as vezes quero me fazer de forte e esperta, as vezes quero ser a mais inteligente, só que  sempre sou mais uma que se deixou ser hipnotizada por palavras nada decoradas apenas ditas de momento. Mas aquele momento é sempre único, o de entender tudo que uma mulher tem a dizer sobre sua vida tão inesperadamente surpreendente. Chata, cansativa, emocionante, divertida, novamente chata e cansativa e por ai vai....
Ainda me canso de dizer, somos todas bobas e sensíveis ao ponto de acreditar em  mentiras que foram especialmente preparadas para nos dizer durante anos e nós preparadas a acreditar ou fingir que acreditamos.
Ainda sinto satisfação em ouvir os desabafos alheios por um simples fato:
Não estou sozinha nessa. Amigas, sinto em lhes dizer, ou aceitamos essa condição,ou nos tornamos homens! Prefiro ser classificada como homem viu!
#CanseiDeSerEnganada